Churros veganos

  • Arroz 💛
Ahhh seu lindo! Eu sempre amei o branco e posso comer quilos e mais quilos hahahahaha
Aqui em Portugal o arroz integral tende a ficar mais grudadinho (amo!) e aprendi no curso a fazer na panela de pressão. Fica suave, mas tem um sabor mais concentrado. Mais prazeroso de comer e mais fácil de digerir.
Na macrobiótica o arroz integral é muito valorizado e recomendado.
Minha dica: comer ele com gergelim tostado + cebolinha e uma gotinha de shoyu (que não coloquei hoje). Fica muito delicioso!
  • Arroz integral, grão de bico com creme de abóbora, repolho, brócolis, rúcula com molho de tahine e rabanete 💚
  • Mingauzinho pra começar o dia 🥰
Esse eu fiz com flocos de aveia, arroz e cevada. Ficou bem gostoso! Os flocos de cevada são mais duros, então eu deixei ele dar uma hidratada no leite vegetal morno antes de preparar. Em cima tem frutas vermelhas cozidas (que faço uma quantidade maior e deixo guardado na geladeira).
Aproveite os alimentos que estão a sua disposição. Varie o cardápio, prove coisas novas e vai ver que alimentação saudável não precisa ser monótona.
  • Reaproveitando potes para guardar mantimentos 💚
  • Estamos de casa nova 🏠❤️
Tentando fazer escolhas mais conscientes, evitando utensílios de plástico sempre que possível e comendo muito pão 😂
Hoje fiz arroz e feijão pro jantar, tava precisando! Mostrei nos Stories como faço o feijão 😉
  • Semana de mudança, to comendo bem mais do que o normal e tentando dizer para o meu corpo que tá tudo bem, que jaja essa agonia passa e a gente (eu e ele) vai se entendendo e se acalmando.
Falafel com um pão que tava congelado, um hummus feito no garfo mesmo e muito catchup (que eu amooo!).
Tá tendo fritura sim, glúten sim, condimentos sim, dor de estômago sim 😬🤭
  • Muitas pessoas consideram importante comer fora, valorizam o status de ter acesso a restaurantes caros e chefs renomados. Outras não podem arcar financeiramente com isso, mas exageram no consumo de alimentos industrializados.
Uma vez ouvi que cozinhar para si mesmo é um privilégio. E é. Um privilégio que nem nos damos conta que temos.
Cozinhar não é só misturar os ingredientes, não é só seguir uma receita.
É ir em busca dos ingredientes, é lavar, secar, descascar, picar. É provar, ajustar, é pensar em quem vai comer aquele alimento com você.
Ouço frequentemente “Isa, queria gostar de cozinhar como você gosta” e vou dizer uma coisa para vocês: sabe porque comida de vó é tão especial? Sabe porque sua mãe faz sua comida favorita? Porque, por mais gostoso que seja um restaurante do shopping, ele nunca vai superar a comida feita (com carinho) em casa? Porque o restaurante pequeno do interior parece tão familiar? Porque envolve sentimento, envolve energia.
Aquele lanche empacotado que você comprou no mercado foi preparado por máquinas, em porções colossais. Que valores tem agregados ali? Que emoções foram usadas na fabricação? O cansaço dos trabalhadores na fábrica? A exatidão na porcentagem de cada ingrediente?
Não estou dizendo que todos nós deveríamos amar cozinhar, e querer passar horas na cozinha. Mas devíamos valorizar mais esses momentos e agradecer por podermos dar atenção ao que estamos comprando, preparando e ingerindo.
Tentar ir em feiras (de preferência orgânicas), escolher alimentos frescos, preparar com cuidado e sempre (SEMPRE) cozinhar com amor. E você vai ver que sua relação com o alimento (e com a cozinha) vai se transformar em algo muito gratificante. ❤️
  • Lindeza da natureza 🍊
  • Bom dia, domingo!
Olha essas lindezas 🥞
Sem ovos, leite de vaca, açúcar, óleo e trigo!
Bati uma banana beeeeem madura com leite de aveia e depois misturei farinha de aveia (e um pouquinho da de arroz, que é mais seca) até ficar uma massa bem cremosa. Adicionei um pouco de baunilha e fermento e fiz numa frigideira antiaderente.
A calda é de frutas vermelhas cozidas com maçã ralada (que ajuda a adoçar).
Ah! Entre as panquecas tem manteiga de amêndoas 😋
As maiores fiz com a medida de 1/4 de xícara e as bebês, com a medida de uma colher de sopa.
  • Bolo de chocolate com calda de frutas vermelhas ❤️
  • 2 xícara de água
  • 2 colheres de sopa de óleo + óleo para fritar
  • 1 xícara de açúcar + açúcar para polvilhar
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de canela + canela para polvilhar
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • Em uma panela coloque todos os ingredientes (com exceção da farinha de trigo) e leve para ferver
  • Assim que ferver, desligue o fogo e jogue a farinha de trigo. Mexa bem até a massa ficar uniforme (é uma massa bem pesada, então prepara o braço!)
  • Deixe a massa esfriando por 20 minutos e coloque num bico de confeitar. Se preferir, também pode fazer de outros formatos (bolinha fica ótimo!). Eu optei por fazer baby churros, ficou super fofo!
  • Frite em óleo quente até os churros ficarem dourados, retire da panela e deixe sob um papel toalha para absorver o excesso de óleo
  • Polvilhe numa mistura de açúcar e canela
  • Recomendo doce de leite de castanha para acompanhar

Isabela Mascarenhas

Baiana, designer e louca por animais. É apaixonada por comida desde sempre, mas só depois de adulta percebeu que não sabe se gosta mais de cozinhar ou comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *